BEM VINDO

Gostaria de deixar claro que o evangelho de Jesus Cristo é para mim motivo de honra,“porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê...”(Rm 1:16). Tenho, porém, a cada dia, mais vergonha do evangelicalismo pregado nos púlpitos de algumas igrejas e vivido por muitos de seus membros.

O espírito mundano tem assolado e impregnado as mentes e corações do povo de Deus, como um mal que se alastra em todos os setores da vida religiosa: doutrina, liturgia, fé e padrões de conduta. A tal ponto que muitos crentes sinceros, mas negligentes quanto ao conhecimento das Escrituras, têm se deixado enredar “pela astúcia de homens que induzem ao erro” (ef 4:14).


ARQUIVOS DO BLOG

Fruto do Espírito


É permitida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste Blog, desde
que o nome da autora seja mencionado e postado o seu link de origem.  
Lei n .9.610,19/02/98.  http://amulhereapalavra.blogspot.com/ 

PARTE 1

Este trabalho é resultado de uma série de estudos ministrados na SOCIEDADE FEMININA e compilado posteriormente em forma de Apostila. Aqui, eles serão divididos em partes para facilitar o acesso. Glória Maria Temóteo Brasil. 2º Semestre/2006.

PROGRAMA DE INCENTIVO
No início do semestre cada irmã deve receber uma figura de uma cesta vazia. Ao longo das semanas será desenvolvido um Programa de Incentivo (presença e pontualidade, versículos memorizados, tarefas realizadas, convidadas,  etc) sendo entregues frutos recortados como bonificação, que serão colados à cesta.

Ao final do período, as ofertas arrecadadas no semestre poderão ser
convertidas em brindes que deverão ter o valor fixado em "x" frutos.  Estes poderão ser adquiridos pelas irmãs conforme a quantidade de mercadoria (frutos) que tiverem para trocar - como em uma feira de "escambo".

Assunto: Doutrina do Espírito Santo
Tema: O Fruto do Espírito
Texto Base: Gálatas 5:16-25
Classe: Senhoras e Moças

INTRODUÇÃO
Nosso estudo começa no capítulo cinco de Gálatas, com um grande e maravilhoso assunto que é a liberdade que usufruímos em Cristo: liberdade para não sermos escravos de homens, liberdade para não pecarmos, liberdade para andarmos no Espírito e darmos fruto.

Porém, quais as condições para dar fruto e quem pode dá-lo?

I. QUEM PODE DAR FRUTOS?

Conheçamos melhor a Palavra do Senhor, no texto de João 15:1-15.
Verso 1. Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor.
Jesus nos diz que Ele é a Videira Verdadeira, os crentes são os Ramos e Deus o Agricultor que dela cuida.

Verso 2. Todo ramo que, estando em mim, não der fruto, ele o corta; e todo o que dá fruto limpa, para que produza mais fruto ainda.
Quem não conheceu freqüentadores de igreja que só tinham aparência de Crentes (Mc 11: 12-14 e 20) como a figueira estéril? Ou que produziam frutos maus (Mt 7:19-20) e cujo destino a Bíblia diz que seria serem lançados ao fogo? Outros, porém, nos remetem à Parábola do Semeador, pois dão frutos – estes O Agricultor limpa, produzem mais fruto, como em bom solo – e frutificam a 30, 60 e 100 por 1.

Verso 3. Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado.
O QUE SERIA LIMPAR?  O verso dois diz que Deus limpa e o verso três diz que “vós já estais limpos”. Qual a diferença? Tomemos outro trecho das Escrituras para compararmos coisas espirituais com coisas espirituais.
Em Jo 13:2-10, Jesus lava os pés aos discípulos. Pensemos na cultura do Oriente – A imagem de alguém voltando dos banhos públicos para sua casa. Seus pés estariam sujos e precisariam ser lavados, mas não o seu corpo, que já tinha sido banhado. O significado espiritual seria restaurar comunhão com Deus (já banhou o corpo todo – única oferta), como em Hebreus 10:14. Mas precisa lavar os pés, significando confissão de pecados para perdão, como em 1 Jo 1:9 (Disciplina para crescimento).
Hebreus 10:14  Porque, com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados.
1 João 1:9  Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.

Verso 4. Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim.
Permanecer em Cristo é ter as Palavras da Bíblia no coração, memorizar e trazer à lembrança quando estamos no meio de uma tribulação. É guardar os mandamentos e saber quais as ordens de Cristo para o nosso dia a dia. É fazer o que Cristo manda.
Tiago 1:2  Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações,
Filipenses 4:6  Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as Vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças
Tiago 4:17   Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz nisso está pecando.

Verso 8. Nisto é GLORIFICADO meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornareis meus DISCÍPULOS.
Para quê ou por que dar fruto? Para glorificar a Deus e ser reconhecido como sendo discípulos de Cristo.
Efésios 2:10  Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas

Verso 11. Tenho-vos dito estas coisas para que O MEU GOZO esteja em vós, e o VOSSO GOZO SEJA COMPLETO.
Conhecer tudo isso é ter o gozo (ALEGRIA) de Cristo em si mesmo. E mesmo em meio a tribulações ter a felicidade de conhecer o Deus Eterno e saber que foi escolhido por Ele, vivendo uma vida digna e frutífera.
João 15:16  Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda.

II. COMPARAÇÃO DO FRUTO DO ESPÍRITO COM O “HINO DO AMOR” DE 1 CO 13.
II. COMO MANIFESTAR O FRUTO DO ESPÍRITO
Manifestar o Fruto do Espírito não é obter mais do Espírito, pelo contrário, é permitir que o Espírito consiga mais de nós. Permitir que Deus cumpra em nós todo o Seu propósito, manifestar ao mundo as virtudes de Cristo através de um caráter cristão virtuoso.

É ter uma vida vitoriosa, que glorifique a Cristo. O crente espiritual é constante, não sazonal - não se produz o Fruto uma semana e outra não. Independe das condições as quais o crente esteja passando, ou das pessoas com as quais ele convive.

Não depende das qualidades naturais que cada pessoa possui ou do seu temperamento. Não pode ser fingido ou fantasiado: uma pessoa, por interesse, pode tentar agir calma, alegre, graciosamente por determinado período de tempo, mas sempre acabará por mostrar sua verdadeira face.

O homem natural, não regenerado, por mais que se esforce, somente poderá reproduzir essas virtudes de forma imperfeita, posto que não são naturais e sim sobrenaturais, produzidas por Deus. O Fruto do Espírito é produzido NO crente PELO Espírito, através de uma vida de submissão e obediência à Palavra de Deus.

IV. O FRUTO DO ESPÍRITO ATRAVÉS DE PERSONAGENS BÍBLICOS FEMININOS
Vamos realizar o estudo buscando em personagens bíblicos femininos, exemplos de vida que possam nos ajudar nesta caminhada à Santificação e ao crescimento na graça de Jesus Cristo.

Muito já foi escrito sobre o assunto, mas eu creio ser de grande valor o exercício de meditarmos sempre nos mesmos versículos, posto que as misericórdias do Senhor se renovam a cada manhã ( Lm 3:22-23).
Várias são as personagens que poderiam ser utilizados como exemplos, todavia, optamos por essas mulheres. As irmãs poderão pensar em outros nomes.

A. O FRUTO DO ESPÍRITO É: ... AMOR ...

Conceito Teológico: No idioma original é o amor Agape e identifica o amor de Deus. É o alicerce da vida cristã e excede todo o entendimento, pois o amor fruto do Espírito vem de Deus e é derramado no coração do crente pelo Espírito Santo (Ef 3:17;19).
Rm 5:5 porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado.
  
MARIA
Ela fez o que pôde
(Mt 26:6-13; Mc 14: 3-9; Jo 12: 1-9)

Seis dias antes da Páscoa, foi Jesus para Betânia, (...) Deram-lhe, pois, ali, uma ceia; (...)
 1. Ela não pensou em si mesma - Deu tudo o que tinha.
Então, Maria, tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, mui precioso, ... (preciosíssimo perfume) ... ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos;
O perfume era algo muito caro para Maria possuir e talvez ela o guardasse para as suas núpcias ou o seu próprio sepultamento. Mas, por amor, ela derramou o seu coração junto com o bálsamo aos pés de Jesus. Isto me fez lembrar uma outra cena, onde Jesus mostra o contraste entre uma mulher pecadora salva e um religioso perdido: “a quem muito se perdoou muito amou...”.

2. Foi criticada – que desperdício...
Mas Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, o que estava para traí-lo, disse: Por que não se vendeu este perfume por trezentos denários e não se deu aos pobres? (...)
Muitas vezes somos criticadas ou até mesmo criticamos as atitudes de pessoas porque não concordamos ou não entendemos – fazemos isso com amor? Olhamos com amor? As nossas ações devem ser feitas todas olhando para Cristo, querendo agradá-lo: Jesus mostra o contraste entre o que crê e perdido: O que crê faz com a mão direita e a esquerda não vê - e Seu pai do céu o recompensará. O perdido faz para ser visto dos homens - e esta é a sua recompensa. Diariamente vidas são entregues à obra de Deus... que DESPERDÍCIO... ou... que AMOR?

3. Jesus entendeu
Mas Jesus disse: Deixai-a; por que a molestais? Ela praticou boa ação para comigo. Porque os pobres, sempre os tendes convosco e, quando quiserdes, podeis fazer-lhes bem, mas a mim nem sempre me tendes.
As obras de caridade devem fazer parte da vida do salvo, mas não devem fazê-las esperando glória dos homens ou mérito perante “um ser superior” – como fazem os incrédulos. Nós temos uma obra de caridade a fazer deixada pelo Senhor:  “E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura” Mc16:15.

4. Seus motivos eram puros
Ela fez o que pôde: antecipou-se a ungir-me para a sepultura.
Faltavam seis dias para Jesus ser morto e sepultado e Deus tocou o coração daquela mulher simples... Antecipou-se a ungi-Lo para a sepultura. Se você está na vontade de Deus, mesmo que aos olhos humanos não seja reconhecida, Ele lhe dará a paz e a alegria de O estar servindo.

5. Em memória de Maria
Em verdade vos digo: onde for pregado em todo o mundo o evangelho, será também contado o que ela fez, para memória sua.
Muitos homens e mulheres viveram antes de nós e o que Jesus disse sobre Maria é como se tivesse dito ao mesmo acerca deles: Os heróis da fé de Hb 11, Calvino, Lutero, Anne Carmaical, Linvigstone e tantos outros incontáveis. Nós seremos lembrados por alguém? Por um crente sincero?

6. E encheu-se toda a casa com o perfume do bálsamo.
Podemos sentir a fragrância daquele perfume, ainda hoje.
Como é bom sentir aquele aroma... quase o posso sentir agora... Nos missionários que estão nas tribos, nos europeus que deram suas vidas na África, na SELVA AMAZÔNICA, nos caboclos que estão indo pregar o evangelho na Europa, Índia.

Há uma forma de podermos exalar este perfume: estando com Jesus e Sua palavra: “Somos para com Deus o bom perfume de Cristo”. Maria tinha estado aos pés de Jesus enquanto Marta se preocupava com tantos afazeres... ela escolheu a melhor parte e isto não lhe foi tirado.

PARTE 2
Assunto: Doutrina do Espírito Santo
Tema: O Fruto do Espírito
Texto Base: Gálatas 5:16-25
Classe: Senhoras e Moças

B. O FRUTO DO ESPÍRITO É: ... ALEGRIA ...  

No conceito secular, ALEGRIA é um estado intrínseco, está na natureza da pessoa ou do fato. Por exemplo, Cores Alegres – o amarelo não fica alegre porque é amarelo, ao contrário, ele é, em si, uma cor alegre, que alegra os ambientes.

No Conceito Teológico, ALEGRIA – do original grego – significa Chara (estar alegre, regozijar-se) e Agalliaomai (exultar-se, regozijar-se grandemente, transbordar de alegria, gozo).

1. ALEGRIA É DIFERENTE DE FELICIDADE

Felicidade significa bom êxito, bem-estar, prosperidade. É circunstancial (temporária) provêm do ambiente, é externa. Depende da conduta de outras pessoas, da seqüência de eventos da vida, até das mudanças do clima.

2. EXEMPLOS BÍBLICOS DA DIFERENÇA ENTRE O QUE O MUNDO INCRÉDULO CHAMA DE ALEGRIA E O QUE DEUS DIZ:
3. A ALEGRIA SEGUNDO A BÍBLIA:
• Seu autor é Deus
Pois produziu em nossos corações, por meio de Suas promessas, a esperança de uma dia estarmos com Ele em PLENA ALEGRIA.
João 16:20 Em verdade, em verdade eu vos digo que chorareis e vos lamentareis, e o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se converterá em alegria.
• Dentro da história de nossas vidas iniciou-se na salvação, e é resultado da fé no Salvador.
Atos 13:52  Os discípulos, porém, transbordavam de alegria e do Espírito Santo.
• Inicia-se no próprio Deus conforme:
Isaías 61:3 “... e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo SENHOR para a sua glória”
• Volta-se para Deus:
Tito 2.13 “... aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus...”
• Não está baseado no circunstancial, nos elementos externos ao homem.
Hebreus 12:2 “... olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus”

Em 1 Pedro, no verso (1.6): Os crentes devem ser alegres apesar das provações no tempo presente; No (1.8): pelo amor de Cristo e em (4.13): na medida que sois co-participantes dos sofrimentos de Cristo.

MARIA
Jovem, virgem ... grávida ... E ALEGRE!
(Lucas caps.1-2)
1. Maria, o vaso escolhido por Deus, para ser a mãe  do salvador, cumprindo a profecia de Isaías  7.14, feita por volta de 700 anos antes. A profecia era conhecida pelos justos e piedosos que aguardavam a redenção de Israel. Maria com José, seu noivo, chamado justo, eram descendentes da casa de Davi, e com certeza conheciam e aguardavam o seu cumprimento.

2. O anjo anuncia a Maria o plano divino:
Ela, comprometida com José, reconhecidamente virgem, apareceria grávida e ao seu noivo e a toda a sociedade diria ser o cumprimento da profecia, e todos deveriam crer em sua palavras. Caso, porém, não acreditassem, ela poderia ser apedrejada como adúltera pela lei dos judeus.

3. O testemunho pelas próprias palavras de Maria, conhecido como “Magnificat”.
A minha alma engrandece ao Senhor - Lucas 1.46
Ela entendeu perfeitamente a mensagem do anjo e as implicações que seu cumprimento trariam. Apenas creu e entregou-se a Deus: (1:38 - disse Maria: Aqui está a serva do Senhor; que se cumpra em mim conforme a tua palavra).

O meu espírito se alegrou em Deus, meu Salvador - Lucas 1:47
Ela própria exulta de alegria. E outros testificam isso:
. O Anjo Gabriel: (1:28 - disse: Alegra-te, muito favorecida! O Senhor é contigo)
. Isabel: (1:45 - Bem-aventurada a que creu...) – Alegre, feliz!

Porque contemplou na humildade da sua serva - Lucas 1:48
Deus pôs Seus olhos nela ... e ela se sentiu presenteada por Ele. A si mesma se chamou escrava, continuou pobre, casada com um carpinteiro, fugindo de um lado para outro, a pé ou num jumentinho, com medo dos poderosos e temendo pela vida de seu filho.

Pois, desde agora, todas as gerações me considerarão bem-aventurada - Lucas 1:48
Mãe de um Rei! Seu palácio: um estábulo; seu berço: uma manjedoura; seus adoradores: simples pastores. E ela estava alegre, feliz! Sua alegria estava em contemplar a Deus e o cumprimento de Sua Palavra profética – O Redentor! Ela tinha sido escolhida para trazê-Lo ao mundo e sofrer por Ele: Jesus, O Messias!

Porque o Poderoso me fez grandes coisas. Santo é o seu nome - Lucas 1:49
Ela conhecia ao Deus de Israel e recitou as Escrituras:
Sl 111:9 “Enviou ao seu povo a redenção; estabeleceu para sempre a sua aliança; santo e tremendo é o seu nome.”

Lucas 1:50  A sua misericórdia vai de geração em geração sobre os que o temem

Conceito secular de misericórdia significa ter compaixão. É sentir dó, pesar diante dos males sofridos por outra pessoa e misericórdia é oferecer caridade e clemência diante da desgraça alheia.

Conceito Teológico, o significado é livramento da pena ou castigo merecidos. Misericórdia (oiktirmos) – Ter piedade ou misericórdia, ter compaixão. Emprega-se como sinônimo de (eleeo) – Ter compaixão.

Maria, considerou Deus misericordioso, e Ele o é. Mas vejamos se na sua vida ela foi  livre de passar por dificuldades e problemas.
a) A visita dos pastores (Lu 2.18-19)
Anunciando as grandezas referidas pelos anjos – Maria, porém, guardava todas estas palavras, meditando-as no coração.
b) Simão, no Templo (Lu 2.25-35)
“Eis que este menino está destinado ... para ser alvo de contradição (também uma espada traspassará a tua própria alma.”
c) Profetiza Ana (Lu 2.38)
Falava que o menino era a Redenção de Israel.
d) Aos 12 anos, no Templo (Lu 2.49-51)
Jesus dá o primeiro sinal de sua natureza e ministério “Ele lhes respondeu: Por que me procuráveis? Não sabíeis que me cumpria estar na casa de meu Pai? Não compreenderam, porém, as palavras que lhes dissera. Sua mãe, porém, guardava todas estas coisas no coração.”
e) Maria viveu e sofreu toda a vida por seu Filho Divino
Esteve presente durante Seu ministério (Jo2.12). Sofreu as injúrias, mentiras e perseguições que Ele sofreu, até dos próprios irmãos (...“pois nem mesmo os seus irmãos criam nele.” João 7:5) e esteve presente na Sua morte (Jo 19.26)
f) A Alegria de Maria, testemunha da misericórdia de Deus
Que a salvou dos seus pecados (“Deus meu Salvador” Lu 1.47) – pelo sangue de Jesus. E mesmo em meio a dificuldades terrenas considerou-se feliz e reconheceu (“Porque o Poderoso me fez grandes coisas.” Lucas 1:49).

Em Atos 1.14, Vemos Maria com os apóstolos e discípulos, e os irmãos do Senhor, em Jerusalém, no cenáculo, perseverando em orações e aguardando o cumprimento da promessa da descida do Espírito Santo, que se cumpriu no dia de Pentecostes (At 2.1-4)

C. O FRUTO DO ESPÍRITO É: ... PAZ ...

No conceito secular paz significa ausência de conflito. No conceito teológico, no grego original - Eirene, significa: Bem-estar que vem do próprio Deus.

1. A FONTE DA PAZ
a) Deus Pai é chamado de Deus da Paz
Rm 15:33 E o Deus da paz seja com todos vós. Amém!
(Rm 16:20 E o Deus da paz, em breve, esmagará debaixo dos vossos pés a Satanás.
Fp 4:9  e o Deus da paz será convosco.
b) Jesus é o Príncipe da Paz
Is 9:6  Porque um menino nos nasceu, ... e o seu nome será: ... , Príncipe da Paz;
c) Espírito Santo produz Paz
Gl 5:22  Mas o fruto do Espírito é: ... paz...

2. QUEM NÃO PODE TER PAZ
O homem incrédulo, por melhores condições que ele possa ter na vida: Saúde, bens materiais, família, ele sempre estará, consciente ou não, sob o poder da morte e a ameaça do juízo divino. A bíblia os chama de:
Filhos da desobediência - Ef 2:2 “... do espírito que agora atua nos filhos da desobediência;”
Filhos da ira - Ef 2:2 “... e éramos, por natureza, filhos da ira,”
Inimigos de Deus - Cl 1:21 “... estranhos e inimigos no entendimento pelas vossas obras malignas,”

3. CINCO ASPÉCTOS DA PAZ:
3.1. PAZ COM DEUS
Se fundamenta na obra de Redenção e é o resultado do perdão de Deus: já não há desobediência, ira ou inimizade entre Deus e o Homem. Essa virtude faz parte da alma do Crente fiel, que tem certeza da sua salvação em Cristo e que está livre de qualquer juízo de Deus.
a) Cristo é o mediador da paz
Cristo, na Cruz do Calvário pagou os pecados, reconciliando o pecador com Deus (Ef 2:14;18).
b) Mediante a fé o pecador é justificado e alcança a paz com Deus (Rm 5:1).

3.2. PAZ DE DEUS
a) É um presente que Cristo oferece ao crente (Jo 14:27)
Ele pode gozar uma paz interior que independerá das adversidades, problemas ou perturbações do dia-a-dia. 
b) É obtida e mantida na vida do crente através da comunhão íntima com Jesus (Fp 4:6-7)
Sua confiança e segurança serão depositadas no Senhor, e em tudo buscará Seus conselhos, pela Bíblia e oração.
c) Para este crente, a Paz de Cristo orientará suas decisões e ações (Cl 3:15)
Este crente não se exasperará com as grosserias do esposo(a) ou filhos incrédulos, mas responderá com brandura, pois entenderá que a inimizade deles, primariamente, é com Deus. Também não se deixará irritar pelo vendedor mal educado, com as implicâncias do vizinho, ou por ser ultrapassado na fila do médico, pois seu objetivo será sempre buscar a paz;

3.3. PAZ NA IGREJA
É na Igreja que os crentes aprendem a exercitar e praticar a paz.
a) É a ausência de desordem na Igreja (Co 14:33);
b) É uma comunhão diária de paz com os líderes (1T 5:13) e entre os irmãos (2Co 13:11)
O crente que goza a paz de Deus não será melindroso... não se sentirá ofendido ou ultrajado por um irmão na igreja, suspeitando de alguma má vontade, pois estará com seu espírito tranqüilo, descansando no Senhor.
c) A prática da Paz e da Santificação até a vinda de Cristo (Hb 12:14).

3.4. PAZ COM TODOS OS HOMENS
É um alvo a ser alcançado pelo crente, pois deve mostrar ao mundo um caráter transformado, refletindo a imagem de Cristo.
a) Se possível, deve Ter paz com todos os homens (Rm 12:18)
b) Deve buscar diligentemente a paz (1Pe 3:11)
c) Não esperar elogios dos homens, antes, esperar ser honrado por Cristo (Mt5:9).

3.5. MINISTÉRIO DA PAZ
Assim como recebemos o perdão de Deus, sem merecimento algum, nós que éramos inimigos fomos objeto de Sua paz, também Deus nos deu uma grande obra para realizarmos, enquanto estamos aqui na terra: ir por todo o mundo e pregar o Evangelho da paz. É uma arma na luta contra Satanás (Ef 6:15) e um ministério que nos foi outorgado por Deus (2Co 5:18-19), além de uma honra e grande responsabilidade, pois somos embaixadores de Cristo - Seus representantes oficiais na terra - (2Co 5:20).

É DEUS QUEM BUSCA PAZ COM O PECADOR E A CONSERVA.
Isaías 26:3 Tu, SENHOR, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti.
Mt 11:28 Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.



ABIGAIL
“Bem-aventurada a Pacificadora
... porque será chamada filha de Deus.”
Mt 5:9 / 1 Sm 25:1-44
1. Contexto
O rei Saul fora rejeitado por Deus e, impiamente, procurava matar Davi, já ungido rei. Davi fugia com um bando de 600 homens. No Carmelo, os pastores de Nabal tosquiavam as suas ovelhas, e o bando de Davi os protegeu.
2. Nabal
Era um homem rico, porém, maligno e duro de coração. Seu nome significa “homem de Belial” – significa tolo – não de estúpido mental, mas de alguém insensível ou louco, quanto a Deus e aos direitos dos homens.
3. Abigail
Era o nome de sua mulher. Ela era sensata e formosa.
4. O Pedido de Davi
Davi Envia 10 moços a Nabal para pedir mantimentos. A saudação é de paz e revela a amizade que seus homens tinham pelos servos de Nabal. Os moços de Davi falaram a Nabal e aguardaram.
(vs. 6;8) “Direis àquele próspero: Paz seja contigo, e tenha paz a tua casa, e tudo o que possuis tenha paz! achem mercê, pois, os meus moços na tua presença, porque viemos em boa hora; dá, pois, a teus servos e a Davi, teu filho, qualquer coisa que tiveres à mão.”
5. A resposta de Nabal
Nabal responde de maneira insolente. Ignora propositadamente a Davi, mostrando predileção por Saul (v. 10). É avarento. Os moços de Davi lhe relatam o desagravo de Nabal.
(vs. 10,11)  “Quem é Davi, e quem é o filho de Jessé? Muitos são, hoje em dia, os servos que fogem ao seu senhor.”
 “Tomaria eu, pois, o meu pão, e a minha água, e a carne das minhas reses que degolei para os meus tosquiadores e o daria a homens que eu não sei donde vêm?”
6. A ira de Davi
Davi fica enfurecido e resolve vingar-se.
(vs. 13; 21) “Pelo que disse Davi aos seus homens: Cada um cinja a sua espada. E cada um cingiu a sua espada, e também Davi, a sua Ora, Davi dissera: Com efeito, de nada me serviu ter guardado tudo quanto este possui no deserto, e de nada sentiu falta de tudo quanto lhe pertence; ele me pagou mal por bem.”
(vs. 13; 22) “subiram após Davi uns quatrocentos homens, e duzentos ficaram com a bagagem. Faça Deus o que lhe aprouver aos inimigos de Davi, se eu deixar, ao amanhecer, um só do sexo masculino dentre os seus.”
7. Abigail é avisada
Sobre a bondade de Davi e seu pedido e a resposta de Nabal. Do perigo iminente e a necessidade de evitar uma desgraça.
(vs. 15;16) “Nesse meio tempo, um dentre os moços de Nabal o anunciou a Abigail, mulher deste, dizendo: Aqueles homens, porém, nos têm sido muito bons, e nunca fomos agravados por eles e de nenhuma coisa sentimos falta em todos os dias de nosso trato com eles, quando estávamos no campo. De muro em redor nos serviram, tanto de dia como de noite, todos os dias que estivemos com eles apascentando as ovelhas.”
(v. 14) “Davi enviou do deserto mensageiros a saudar a nosso senhor; porém este disparatou com eles.”
(v. 17) “Agora, pois, considera e vê o que hás de fazer, porque já o mal está, de fato, determinado contra o nosso senhor e contra toda a sua casa.”
8. Abigail age com sabedoria
Prepara um presente, manda os seus servos adiante dela a encontrar-se com Davi e oculta o plano a Nabal.
(v. 18) “Então, Abigail tomou, a toda pressa, duzentos pães, dois odres de vinho, cinco ovelhas preparadas, cinco medidas de trigo tostado, cem cachos de passas e duzentas pastas de figos, e os pôs sobre jumentos,”
(v. 19) “e disse aos seus moços: Ide adiante de mim, pois vos seguirei de perto.
(v. 19; 17 b) “Porém nada disse ela a seu marido Nabal.” “ e ele é filho de Belial, e não há quem lhe possa falar.”
9. O encontro com Davi
Abigail intercede pela sua casa, com humildade, assume a responsabilidade da culpa e pede perdão. Usou a Palavra e exortou em nome do Senhor. Tinha convicção que Davi era um servo de Deus, pois lembrou as promessas e o relacionamento de Davi com Deus e o alertou sobre o pecado da vingança pessoal.
(v. 23) “Vendo, pois, Abigail a Davi, apressou-se, desceu do jumento e prostrou-se sobre o rosto diante de Davi, inclinando-se até à terra.”
(vs. 24; 25b) “Lançou-se-lhe aos pés e disse: Ah! Senhor meu, caia a culpa sobre mim; permite falar a tua serva contigo e ouve as palavras da tua serva.” “ eu, porém, tua serva, não vi os moços de meu senhor, que enviaste.”
(v. 26) “Agora, pois, meu senhor, tão certo como vive o SENHOR e a tua alma, foste pelo SENHOR impedido de derramar sangue e de vingar-te por tuas próprias mãos. Como Nabal, sejam os teus inimigos e os que procuram fazer mal ao meu senhor.”
(v. 28) “Este é o presente que trouxe a tua serva a meu senhor; seja ele dado aos moços que seguem ao meu senhor. Perdoa a transgressão da tua serva; pois, de fato, o SENHOR te fará casa firme, porque pelejas as batalhas do SENHOR, e não se ache mal em ti por todos os teus dias.”
(v. 30) “E há de ser que, usando o SENHOR contigo segundo todo o bem que tem dito a teu respeito e te houver estabelecido príncipe sobre Israel”
(v. 31) “então, meu senhor, não te será por tropeço, nem por pesar ao coração o sangue que, sem causa, vieres a derramar e o te haveres vingado com as tuas próprias mãos;”
10. Davi volta a sensatez
a) Agradece a Deus e a Abigail. Recebe os presentes em sinal de perdão.
(v. 32) “Então, Davi disse a Abigail: Bendito o SENHOR, Deus de Israel, que, hoje, te enviou ao meu encontro.”
(vs. 33;34) “Bendita seja a tua prudência, e bendita sejas tu mesma, que hoje me tolheste de derramar sangue e de que por minha própria mão me vingasse. Porque, tão certo como vive o SENHOR, Deus de Israel, que me impediu de que te fizesse mal, se tu não te apressaras e me não vieras ao encontro, não teria ficado a Nabal, até ao amanhecer, nem um sequer do sexo masculino.”
(v. 35) “Então, Davi recebeu da mão de Abigail o que esta lhe havia trazido e lhe disse: Sobe em paz à tua casa; bem vês que ouvi a tua petição e a ela atendi.”
11. Nabal é castigado por Deus
Nabal Percebe a gravidade do seu ato. É castigado.
(v. 37) “Pela manhã, estando Nabal já livre do vinho, sua mulher lhe deu a entender aquelas coisas; e se amorteceu nele o coração, e ficou ele como pedra.”
(v. 38) “Passados uns dez dias, feriu o SENHOR a Nabal, e este morreu.”
12. Davi reconhece que a vingança é do Senhor
Mais uma vez agradece a Deus e recompensa Abigail.
(v. 39) “Ouvindo Davi que Nabal morrera, disse: Bendito seja o SENHOR, que pleiteou a causa da afronta que recebi de Nabal e me deteve de fazer o mal, fazendo o SENHOR cair o mal de Nabal sobre a sua cabeça.”
(v. 40) “Mandou Davi falar a Abigail que desejava tomá-la por mulher. Tendo ido os servos de Davi a Abigail, no Carmelo, lhe disseram: Davi nos mandou a ti, para te levar por sua mulher.”
13. Abigail é conservada em paz
É humilde diante do servos do servo de Deus. Torna-se esposa do rei Davi.(vv. 41) “Então, ela se levantou, e se inclinou com o rosto em terra, e disse: Eis que a tua serva é criada para lavar os pés aos criados de meu senhor.”
(vv. 42) “Abigail se apressou e, dispondo-se, cavalgou um jumento com as cinco moças que a assistiam; e ela seguiu
os mensageiros de Davi, que a recebeu por mulher. “

PARTE 3
Assunto: Doutrina do Espírito Santo
Tema: O Fruto do Espírito
Texto Base: Gálatas 5:16-25
Classe: Senhoras e Moças

D. O FRUTO DO ESPÍRITO É: ... LONGANIMIDADE ...

No conceito secular  significa uma virtude que consiste em suportar dores, infortúnios, etc., com resignação. No conceito teológico, no grego – Makrothymia – significa Longanimidade, paciência.

I. É UM ATRIBUTO ESSENCIAL DE DEUS E EXPRESSA SUA BONDADE:
1. Ele suporta o obstinado e o malvado apesar de sua persistente desobediência.
Deus esperou 120 anos para mandar o juízo do Dilúvio.
1 Pedro 3:20  os quais, noutro tempo, foram desobedientes quando a longanimidade de Deus aguardava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca, na qual poucos, a saber, oito pessoas, foram salvos, através da água...
Deus manteve no deserto, por 40 anos, o povo rebelde que saiu do Egito, até que toda aquela geração morresse, sob juízo.
Atos 13:18   e suportou-lhes os maus costumes por cerca de quarenta anos no deserto.
Deus, às vezes, espera um longo tempo, antes de derramar Seu juízo sobre o ímpio.
Sl 145:8  Benigno e misericordioso é o SENHOR, tardio em irar-se e de grande clemência.
2 Pe 2:4   Ora, se Deus não poupou anjos quando pecaram, antes, precipitando-os no inferno, os entregou a abismos de trevas, reservando-os para juízo;

2. Deus é paciente com aqueles a quem quer salvar, seus eleitos.
1 Tm 1:12-16  Sou grato ... me considerou fiel ... a mim, que, noutro tempo, era blasfemo, e perseguidor, e insolente. ... pois o fiz na ignorância, na incredulidade ... me foi concedida misericórdia, para que, em mim, o principal (“PECADOR”),  evidenciasse Jesus Cristo a sua completa longanimidade, e servisse eu de modelo a quantos hão de crer nele para a vida eterna.

II. DENOTA UMA VIRTUDE HUMANA – O PROLONGADO REFREAR DA “IRA” OU DA
“AGITAÇÃO” - É MANTER A IRA LONGE.
1. Deus espera que seus santos eleitos demonstrem em suas vidas a longanimidade, não só como uma característica de caráter íntima, mas sim que transpareça pelo seu modo de vida.
Cl 3:12  Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade.
2. Deus espera que seus santos eleitos demonstrem no relacionamento com o próximo uma atitude positiva que sempre levará a pessoa a chegar a um meio-termo.
Efésios 4:1-2  Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor,
1 Ts 5:14  Exortamo-vos, também, irmãos, a que admoesteis os insubmissos, consoleis os desanimados, ampareis os fracos e sejais longânimos para com todos.

Usaremos como estratégia pedagógica, o contraste entre as personalidades de duas mulheres iracundas que conviveram com dois tipos de homem: um iracundo como ela, trazendo o mal para a família e outro longânimo e temente a Deus, cuja justiça trouxe bênçãos para sua casa.

MULHER DE POTIFAR E A MULHER DE JÓ
“O desejo dos justos tende somente para o bem, ... mas a expectação dos perversos ... redunda em ira.” Provérbios 11:23



MULHER DE POTIFAR
(Gn 39)

1. Potifar
Viu o relacionamento de José com o seu Deus e que o Senhor o fazia prosperar. Confiou tudo que tinha nas mãos de José.Gn 39:3 Vendo Potifar que o SENHOR era com ele eque tudo o que ele fazia o SENHOR prosperava em suas mãos,
Gn 39:6 Potifar tudo o que tinha confiou às mãos de José, de maneira que, tendo-o por mordomo, de nada sabia, além do pão com que se alimentava.
2. José
Era formoso e temente a Deus.
Gn 39:6a  José era formoso de porte e de aparência..
3. Mulher de Potifar
a) Era maligna de coração e infiel ao esposo. Era iracunda e queria vingança. Seu comportamento redundou em ira.Gn 39:7 Aconteceu, depois destas coisas, que a mulher de seu senhor pôs os olhos em José e lhe disse: Deita-te comigo.
Gn 39:16  Conservou ela junto de si as vestes dele, até que seu senhor tornou a casa.
Gn 39:20 Tendo o senhor ouvido as palavras de sua mulher, como lhe tinha dito: Desta maneira me fez o teu servo; então, se lhe acendeu a ira .... E o senhor de José o tomou e o lançou no cárcere ...
  
MULHER DE JÓ
  (Livro de Jó)

1. Jó
Temente a Deus e tinha o testemunho do próprio Deus... Jó sofre uma desgraça.Jó 1:5 Decorrido o turno de dias de seus banquetes, chamava Jó a seus filhos e os santificava ... e oferecia holocaustos ... pois dizia: Talvez tenham pecado os meus filhos e blasfemado contra Deus em seu coração. Assim o fazia Jó continuamente.
Jó 1:8  Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal.
Jó 1:20-21  Jó ... adorou e disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu voltarei; o SENHOR o deu e o SENHOR o tomou; bendito seja o nome do SENHOR!
2. Mulher de Jó
Era maligna de coração, ímpia e iracunda. Seu comportamento não redundou em ira.Jó 2:9   Então, sua mulher lhe disse: Ainda conservas a tua integridade? Amaldiçoa a Deus e morre.
3. “O desejo dos justos tende somente para o bem"
Porque Jó era longânimo -  Ele conservou a sua integridade...
Jó 2:10  Mas ele lhe respondeu: Falas como qualquer doida; temos recebido o bem de Deus e não receberíamos também o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios...

E. O FRUTO DO ESPÍRITO É: ... BENIGNIDADE ...

No conceito secular,  é uma virtude de quem não é perigoso ou maligno. No conceito teológico, no grego – Chrestotes – refere-se a uma disposição gentil e bondosa para com os outros.

F. O FRUTO DO ESPÍRITO É: ... BONDADE ...

No conceito secular, qualidade de bom, boa ação. No conceito teológico, no grego – agathos – refere-se à bondade ativa, à prática do bem.

I. BOM É TUDO O QUE É DIGNO DE APROVAÇÃO
1. Assim, precisamos de um parâmetro.
Mas, na realidade, não somos livres para decidir por conta própria o que é digno de aprovação ou não.
2. Deus é o parâmetro definitivo do que é bom

II. BONDADE É UM ATRIBUTO MORAL DE DEUS
1. Jesus deixou claro ao dizer:
Lucas 18:19  Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? Ninguém é bom, senão um, que é Deus.
2. Nós também podemos experimentar, pelo Espírito Santo, a bondade de Deus
Salmos 34:8   Oh! Provai e vede que o SENHOR é bom;
Romanos 12:2  E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

III. TUDO O QUE DEUS FAZ É BOM
1. Tudo o que Deus faz é digno de aprovação
Gn 1:31  Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Houve tarde e manhã, o sexto dia.
2. Deus faz somente coisas boas para Seus filhos
Romanos 8:32  Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?

IV. A BONDADE DE DEUS É DEMONSTRADA SOB TRÊS ASPÉCTOS
1. Misericórdia – É Sua bondade para com aqueles que se encontram aflitos
Efésios 2:12  naquele tempo, estáveis sem Cristo, .... , e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança e sem Deus no mundo.

2. Graça – É Sua bondade para com aqueles que só merecem castigo
Efésios 2:1 Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados

3. Paciência – É Sua bondade para com aqueles que persistem no pecado por certo tempo. Ele suporta o obstinado e o malvado apesar de sua persistente desobediência.
1 João 1:9  Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.
2 Pedro 3:9  Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.”

V. REPRODUZINDO ESSE ATRIBUTO, DEVEMOS TAMBÉM NÓS FAZER O BEM
Rm 12:17  Não torneis a ninguém mal por mal; esforçai-vos por fazer o bem perante todos os homens
Gl 6:10  Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé
3 João 1:11  Amado, não imites o que é mau, senão o que é bom. Aquele que pratica o bem procede de Deus; aquele que pratica o mal jamais viu a Deus.



A MENINA SERVA DE NAAMÃ
“Escrava ... mas transbordando de benignidade e cheia de frutos de bondade.”
2 Reis 5:1-5
1. Contexto

As tropas do exército da Síria invadem o território Israel, em guerra, saindo vitoriosos. E levam muitos israelitas como escravos. (vv. 2)
2. Naamã
Naamã, comandante do exército do rei da Síria, era grande homem diante do seu senhor e de muito conceito, porque por ele o SENHOR dera vitória à Síria; era ele herói da guerra, (v. 1)
3. A menina escrava
Uma menina dentre os prisioneiros de Israel é levada e passa a servir como escrava à esposa do grande general Naamã. (v. 2)
4. A doença de Naamã
O grande comandante, apesar de orgulhoso, era leproso. (vs. 1 e 12)
5. A menina conhecia o Deus de Israel
E não somente tinha fé em Deus, mas também conhecia o profeta Eliseu. (v. 3)
6. A sua grande fé.
Influenciou a esposa do comandante que aconselhou o esposo a procurar o profeta de Deus. (v. 4)
7. Naamã é curado
Obedece à ordem do profeta e é curado. (v. 14)
8. Naamã se converte ao Senhor
Crê em Deus e passa a servi-lo. (v. 17)
9. As lições que a benignidade da menina nos ensina
Misericórdia – Ao invés de odiar seu raptor, sente pena do seu sofrimento.
Graça – Poderia desejar que Naamã sofresse como castigo por tê-la mantido escrava, mas, ao contrário, sentiu desejo de libertá-lo de tão grande pesar.
Paciência – Mesmo que Naamã fosse um miserável pecador, desejou que ele conhecesse o poder do Deus que a salvara e que poderia salvá-lo também.

PARTE 4
Assunto: Doutrina do Espírito Santo
Tema: O Fruto do Espírito
Texto Base: Gálatas 5:16-25
Classe: Senhoras e Moças

G. O FRUTO DO ESPÍRITO É: ... FIDELIDADE ...

No conceito secular: Qualidade de quem é fiel, leal, que cumpre aquilo a que se obriga, que não falha,
sincero. Fiel - Ponteiro que indica o equilíbrio da balança.
Conceito teológico: (grego – pistis) – Ser leal, digno de confiança, fiel, fé.

1. Fiel é um termo utilizado para expressar a idéia de comparação entre dois objetos.
Não quer dizer que ambos são iguais, mas que um é o resultado de outro.

2. Podemos entender estes três aspectos da fidelidade:
(1) algo que é a cópia de outra
• Quando mandamos fazer cópias de uma chave, ao recebermos a cópia e a original podemos dizer que a cópia é fiel a original.
• Cópia de documentos autenticada em cartório: "Firmo e dou fé"

(2) alguém que satisfaz às nossas expectativas
• Quando temos uma amizade e dizemos que esta amizade é fiel - Queremos dizer que tem as características que esperamos de uma amizade.

(3) alguém que cumpre aquilo que promete.
• Quando alguém nos promete algo e depois cumpre - afirmarmos que tal pessoa é fiel.

Dentro da realidade da palavra de Deus devemos iniciar com Deus e envolve estes 2 aspectos.

I. A FIDELIDADE DE UMA PESSOA INICIA EM DEUS ( NAS SUAS PROMESSAS)
1. A IMUTABILIDADE daquele que promete
Ml 3:6  Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos.

2. O PODER DE CUMPRIR
Isaías 46:9-10  Lembrai-vos das coisas passadas da antigüidade: que eu sou Deus, e não há outro, eu sou Deus, e não há
outro semelhante a mim; que desde o princípio anuncio o que há de acontecer e desde a antigüidade, as coisas que ainda não sucederam; que digo: o meu conselho permanecerá de pé, farei toda a minha vontade.

3. A clareza das PROMESSAS
Deus já no V.T. prometeu ao seu povo que faria com eles uma nova aliança, onde seriam postas as leis de Deus no coração e na mente de um povo, que passaria a ser propriedade de Deus.
Jeremias 31:33  Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o SENHOR: Na mente,
lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.

• Com esta promessa Deus chegou a cada uma de nós. Esta é primeira das promessas e se somos salvos sabemos que as demais promessas ou já se cumpriram, ou ainda se cumprirão. 
• Assim, nós que conhecemos as promessas de Deus devemos saber que Ele é possuidor dos dois aspectos para a formação de um caráter fiel.

II. A FIDELIDADE COMO VIRTUDE CRISTÃ
1. A fidelidade e a palavra
A permanência na palavra de Deus mostra que somos discípulos de Cristo, e verdadeiramente livres para manifestarmos nossa fidelidade à palavra de Deus.
Jo 8:31-32  Disse, pois, Jesus aos judeus que haviam crido nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

2. A fidelidade e a promessa de Deus
A fidelidade é uma obra de Deus em nossas vidas. Deus é fiel e cumprirá sua promessa, tornando-nos crentes fiéis.
1 Ts 5:24  Fiel é o que vos chama, o qual também o fará.
Hb 11:1  Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem.



RAABE ...
"O preço da fidelidade" (Js 2 )
Contexto
1. Mulher cananéia, pecadora, morava na muralha da cidade de Jericó (v.1)
• Não fazia parte do povo de Deus
• Morava no meio de um povo idólatra

2. Confessa sua fé, reconhece a grandeza de Deus e Crê que Israel é o povo escolhido
A fidelidade de uma pessoa inicia em Deus ( nas suas promessas)
Josué 2:9-11
• e lhes disse: Bem sei que o SENHOR vos deu esta terra, e que o pavor que infundis caiu sobre nós,
• Porque temos ouvido que o SENHOR secou as águas do mar Vermelho diante de vós...

A imutabilidade daquele que promete
• e também o que fizestes aos dois reis dos amorreus, Seom e Ogue, que estavam além do Jordão, os quais destruístes.

O poder de cumprir
• Ouvindo isto, desmaiou-nos o coração, e em ninguém mais há ânimo algum, por causa da vossa presença;
 porque o SENHOR, vosso Deus, é Deus em cima nos céus e embaixo na terra.

3. É fiel à sua fé: A fidelidade como virtude dos que crêem.
A permanência na palavra de Deus mostra que somos discípulos – mostrou que ela era discípula.
• Acolhe os espias, mesmo correndo riscos, pois desobedece às ordens do rei ( 2-7)
• e providencia- lhes a fuga (15-16);

4. Espera fidelidade do povo de Deus
Deus é fiel e cumprirá sua promessa, tornando os seus servos (crentes) fiéis.
• pois pede misericórdia para toda a casa de seu pai (12-13)
• e combinam um sinal claro (18-19);

5. O Senhor é fiel (6:16-17;22-23) - Raabe é salva!
"E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa." (Atos 16 : 31)

H. O FRUTO DO ESPÍRITO É: ... MANSIDÃO ...

MANSIDÃO
I. DEFINIÇÃO
A capacidade de submeter-se, passivamente, às orientações do Senhor. Obediência humilde. Há uma estreita relação entre o governo do Senhor e a participação passiva do servo.

II. A IDÉIA SURGE NO VT
1. Para descrever a suavidade do governo de Deus e a grande vantagem em obedecê-lo.
Salmos 40:17  Eu sou pobre e necessitado, porém o Senhor cuida de mim; tu és o meu amparo e o meu libertador; não te detenhas, ó Deus meu!

Salmos 25:9   Guia os humildes na justiça e ensina aos mansos o seu caminho.

Isaías 66:2  Porque a minha mão fez todas estas coisas, e todas vieram a existir, diz o SENHOR, mas o homem para quem olharei é este: o aflito e abatido de espírito e que treme da minha palavra.

2. Jesus, profeticamente, é citado como humilde em seu jumentinho, e assim o fez em obediências às Escrituras.
Zc 9:9  Alegra-te muito, ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém: eis aí te vem o teu Rei, justo e salvador, humilde, montado em jumento, num jumentinho, cria de jumenta.

III. NO NOVO TESTAMENTO
1. É característica do domínio de Cristo
Os termos utilizados para expressar as marcas do domínio de Cristo que leva a cabo seus propósitos sem o uso da força. Assim ressalta a humildade humana de Cristo.
Mateus 11:29  Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma.

2. Cristo promete recompensas aos que procedem com mansidão
Mateus 5:3  Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus.
Mateus 5:5  Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra.

3. O contexto de 2 Co 10, o apóstolo Paulo mostra a mansidão como atitude de Cristo, mas defendendo a verdade.
2 Co 10:1-2  E eu mesmo, Paulo, vos rogo, pela mansidão e benignidade de Cristo, eu que, na verdade, quando presente entre vós, sou humilde; mas, quando ausente, ousado para convosco, sim, eu vos rogo que não tenha de ser ousado, quando presente, servindo-me daquela firmeza com que penso devo tratar alguns que nos julgam como se andássemos em disposições de mundano proceder.

IV. CONCLUSÃO
• Não dá a entender que é uma atitude meramente humana. É obra do Espírito que estamos vendo.
É um sinal da chamada
Ef 4.2   com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor.
E da eleição
Cl 3.12   Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade.

• Não é uma aspecto do temperamento humano.
É uma realidade quando os homens se conformam a Cristo e à Sua imagem.



RUTE
“Humilde, mansa, obediente ... Recebe do Senhor a recompensa.”
Livro de Rute
INTRODUÇÃO
• Moça gentia, moabita, conheceu o Deus de Israel através da família de seu esposo.
• Viúva, teria o direito de voltar para o seu povo e seus deuses. Porém, decide ficar com sua sogra.
• Decide servir ao Deus verdadeiro e fazer parte do povo de Israel.

2. SUA SITUAÇÃO AO RETORNAR PARA BELÉM
• De abastada à situação de pobreza extrema (1.21).
• Responsável pelo seu sustento e da sogra.
• Não mede esforços e sai em busca de comida, atrás das servas, colhendo espigas nos campos.

3. DEUS GUIA SEUS PASSOS E A PROTEGE
• Deus guia seus passos ao campo de um resgatador (parente próximo).
Salmos 25:9  Guia os humildes na justiça e ensina aos mansos o seu caminho.

• Deus cuida para que seja protegida e consiga comida.
Salmos 40:17   Eu sou pobre e necessitado, porém o Senhor cuida de mim.

• Submete-se, passivamente, às orientações do dono do campo: Boaz.
Rt 2:8-9  Então, disse Boaz a Rute: Ouve, filha minha, não vás colher em outro campo, nem tampouco passes daqui; porém aqui ficarás com as minhas servas. Estarás atenta ao campo que segarem e irás após elas. Não dei ordem aos servos, que te não toquem? Quando tiveres sede, vai às vasilhas e bebe do que os servos tiraram.

4. O SENHOR E A PASSIVIDADE DO SERVO
Há uma estreita relação entre o governo do senhor e a participação passiva do servo.
• Noemi conhecia a Lei de Deus do “Levirato”:
Dt 25:5-6  Se irmãos morarem juntos, e um deles morrer sem filhos, então, a mulher do que morreu não se casará com outro estranho, fora da família; seu cunhado a tomará, e a receberá por mulher, e exercerá para com ela a obrigação de cunhado. O primogênito que ela lhe der será sucessor do nome do seu irmão falecido, para que o nome deste não se apague em Israel.

• Obediência humilde ao plano de Noemi, que segundo a Lei, vai buscar –lhe um resgatador.
Faze assim e assim... (Rt 3:1-4)
Rute 3:5  Respondeu-lhe Rute: Tudo quanto me disseres farei.

5. A SUAVIDADE DO GOVERNO DE DEUS E A VANTAGEM EM OBEDECÊ-LO
• O resgatador, Boaz, toma conhecimento do fato, aceita cumprir a Lei e elogia a Rute
Rute 3:10-11  Disse ele: Bendita sejas tu do SENHOR, minha filha; melhor fizeste a tua última benevolência que a primeira, pois não foste após jovens, quer pobres, quer ricos. Agora, pois, minha filha, não tenhas receio; tudo quanto disseste eu te farei, pois toda a cidade do meu povo sabe que és mulher virtuosa.

• A história de Rute descreve a suavidade do governo de Deus e a grande vantagem em obedecê-Lo.
Isaías 66:2  ... diz o SENHOR, mas o homem para quem olharei é este: o aflito e abatido de espírito e que treme da minha palavra.

6. A RECOMPENSA DA MANSIDÃO
• Rute casa com Boaz e tem um filho, Obede, que é o bisavô de Davi.
Rt 4:13  Assim, tomou Boaz a Rute, e ela passou a ser sua mulher; coabitou com ela, e o SENHOR lhe concedeu que concebesse, e teve um filho.
v.14   Então, as mulheres disseram a Noemi: Seja o SENHOR bendito, que não deixou, hoje, de te dar um neto que será teu resgatador, e seja afamado em Israel o nome deste.
v. 15  Ele será restaurador da tua vida e consolador da tua velhice, pois tua nora, que te ama, o deu à luz, e ela te é melhor do que sete filhos.

I. O FRUTO DO ESPÍRITO É: ... DOMÍNIO PRÓPRIO ...

Conceito Secular: Qualidade de quem tem poder sobre si mesmo. Significa perseverança em abster-se de algo.
Conceito teológico: (grego – enkrateia) – abstinência, ter controle sobre si.

• O domínio próprio ou a autodisciplina neste texto é claramente um comportamento positivo que está em contraste direto com os desejos da velha natureza caída.

• Agradar a Deus com nossas vidas e atitudes não é algo que naturalmente faça parte do coração do homem. 

• É preciso que venha do Espírito de Deus e haja disposição para ser recebida como um dom.

Romanos 12:1-2
Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

UMA MULHER CUJA VIDA SIRVA DE EXEMPLO DE DOMÍNIO PRÓPRIO?
Chegamos ao final do estudo e espero que tenha sido proveitoso para as irmãs. Que nosso Deus seja honrado e engrandecido em nossas vidas, lares e famílias. Amém.