BEM-VINDO

Gostaria de deixar claro que o evangelho de Jesus Cristo é para mim motivo de honra,“porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê...”(Rm 1:16). Tenho, porém, a cada dia, mais vergonha do evangelicalismo pregado nos púlpitos de algumas igrejas e vivido por muitos de seus membros.

O espírito mundano tem assolado e impregnado as mentes e corações do povo de Deus, como um mal que se alastra em todos os setores da vida religiosa: doutrina, liturgia, fé e padrões de conduta. A tal ponto que muitos crentes sinceros, mas negligentes quanto ao conhecimento das Escrituras, têm se deixado enredar “pela astúcia de homens que induzem ao erro” (Ef 4:14).

ARQUIVOS DO BLOG

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

sexta-feira, 23 de março de 2018

Fruto do Espírito - PAZ

0 comentários

Para baixar a
Apresentação
Clique AQUI













 O FRUTO DO ESPÍRITO É PAZ

No conceito secular

Paz significa ausência de conflito.

No conceito teológico

No grego original (Eirene), significa bem-estar que vem do próprio Deus.
Vejamos alguns aspéctos da paz, que deverão fazer parte da vida de todo homem que professa a salvação.

a)     A fonte da paz

Somente Deus é a fonte da perfeita paz.
Deus Pai é o Deus da Paz – Rm 15:33 “E o Deus da paz seja com todos vós. Amém!”
Jesus é o Príncipe da Paz – Is 9:6  “Porque um menino nos nasceu, ... e o seu nome será: ... , Príncipe da Paz”.
O Espírito Santo produz Paz – Gl 5:22  “Mas o fruto do Espírito é... paz...”.

b)    A paz com Deus

O homem ímpio, por melhores condições que ele possa ter na vida: saúde, bens materiais, família, comportamento adequado, ele sempre estará, consciente ou não, sob o poder da morte e a ameaça do juízo divino. Estará em inimizade com Deus. A Bíblia os chama de:
Filhos da desobediência - Ef 2:2 “... do espírito que agora atua nos filhos da desobediência;”

Filhos da ira - Ef 2:2 “... e éramos, por natureza, filhos da ira,”

Inimigos de Deus - Cl 1:21 “... estranhos e inimigos no entendimento pelas vossas obras malignas”

A paz com Deus se fundamenta na obra Redentora de Cristo e é o resultado do perdão de Deus: já não há desobediência, ira ou inimizade entre Deus e o Homem. Essa virtude faz parte da alma do crente. Somente esses  estarão livres de qualquer juízo de Deus.
Cristo é o mediador da paz – na Cruz do Calvário pagou os pecados, reconciliando o pecador com Deus.  Mediante a fé o pecador é justificado e alcança a paz com Deus.

Rm 5:1 Justificados, pois, pela fé, tenhamos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo”.

É Deus quem busca paz com o pecador e a conserva.
Isaías 26:3 “Tu, SENHOR, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti.”

c)     Resultados da Paz

A paz de Deus é um presente que Cristo oferece ao crente. Ele pode gozar uma paz interior que independerá das adversidades, problemas ou perturbações do dia-a-dia.
Jo 14:27 Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; eu não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize”.

É obtida e mantida na vida do crente através da comunhão íntima com Jesus.
Fp 4:6-7 “Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças; e a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus”.
Sua confiança e segurança serão depositadas no Senhor e em tudo buscará Seus conselhos, pela Bíblia e oração. Para este crente, a Paz de Cristo orientará suas decisões e ações.
Cl 3:15E a paz de Cristo, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos.

É na Igreja que os crentes aprendem a exercitar e praticar a paz.
É a ausência de desordem na Igreja Essa irmã terá como prioridade o bem comum da Igreja acima de seus interesses pessoais. Sempre evitará confusão.

Co 14:33 “Porque Deus não é Deus de confusão, mas sim de paz. Como em todas as igrejas dos santos”.

É uma comunhão diária de paz com os líderes – Ela honrará seus líderes, pois entenderá que form servos enviados para pastorear o rebanho do Senhor.

1Ts 5:13 e que os tenhais em grande estima e amor, por causa da sua obras. Tende paz entre vós”.

É uma comunhão diária de paz entre os irmãos – Sempre terá o coração disposto para o bem comum.

2 Co 13:11 “Quanto ao mais, irmãos, regozijai-vos, sede perfeitos, sede consolados, sede de um mesmo parecer, vivei em paz; e o Deus de amor e de paz será convosco”.

A prática da Paz e da Santificação até a vinda de Cristo – Terá uma vida de devoção e santidade, sempre olhando para a cruz de Cristo.

Hb 12:14 “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o SENHOR”.

O crente que goza a paz de Deus não será melindroso... não se sentirá ofendido ou ultrajado por um irmão na igreja, suspeitando de alguma má vontade, pois estará com seu espírito tranqüilo, descansando no Senhor.

Paz com todos os homens é um alvo a ser alcançado pelo crente, pois deve mostrar ao mundo um caráter transformado, refletindo a imagem de Cristo.
Esta crente não se exasperará com as grosserias do esposo ou filhos incrédulos, mas responderá com brandura, pois entenderá que a inimizade deles, primariamente, é com Deus. Também não se deixará irritar pelo vendedor mal educado, com as implicâncias do vizinho, ou por ser ultrapassado na fila do médico, pois seu objetivo será sempre buscar a paz.
Se possível, terá paz com todos os homensRm 12:18  “Se for possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens”  .

Buscará diligentemente a paz1 Pe 3:11 “aparte-se do mal, e faça o bem; busque a paz, e siga-a”.

Não esperará elogios dos homens, antes, buscará ser honrado por CristoMt 5:9  “Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus”.

d)    Ministério da paz

Assim como recebemos o perdão de Deus, sem merecimento algum, nós que éramos inimigos fomos objeto de Sua paz, também Deus nos deu uma grande obra para realizarmos, enquanto estamos aqui na terra: ir por todo o mundo e pregar o Evangelho da Paz.
É uma arma na luta contra Satanás – Ef 6:15 “E calçados os pés na preparação do evangelho da paz”.
É um ministério que nos foi outorgado por Deus – 2 Co 5:18-19 “E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação. Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação”.

É uma honra e grande responsabilidade, pois somos embaixadores de Cristo – Seus representantes oficiais na terra – 2Co 5:20 “De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamo-vos pois da parte de Cristo que vos reconcilieis com Deus”.


CONTINUA...

segunda-feira, 5 de março de 2018

O Fruto do Espírito - ALEGRIA

0 comentários
Para baixar a apresentação Clique AQUI










5.    O Fruto do Espírito é Alegria   

Conceito secular:

É o sentimento de contentamento ou de prazer excessivo. Circunstância ou situação feliz (é uma alegria tê-los em casa). Aquilo que causa contentamento ou prazer (seu projeto foi uma grande alegria para ele). Ação de se divertir, divertimento.

Conceito Teológico: 

O termo original grego significa Chara (estar alegre, regozijar-se, prazer calmo).

a)     Alegria segundo o mundo

Significa bom êxito, bem-estar, prosperidade. É circunstancial (temporária) provêm do ambiente, é externa. Depende da conduta de outras pessoas, da seqüência de eventos da vida, até das mudanças do clima.
Muito do que o mundo incrédulo chama de alegria dá a medida exata da sua desesperança. Somente Deus pode revelar a diferença entre os dois conceitos. Vejamos alguns exemplos:

Alegria do Mundo
O que Deus diz
Riquezas
Rico LoucoDeus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado para quem será? (Lc 12:20)
Boa Saúde
Apóstolo PauloE, para que me não exaltasse pelas excelências das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de me não exaltar. (2 Co 12:7)
Sucesso profissional e financeiro
ZaqueuE eis que havia ali um varão chamado Zaqueu; e era este um chefe dos publicanos, e era rico... E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão. (Lc 19:2-9)
Beleza física
Enganosa Enganosa é a graça, e vã é a formosura; mas a mulher que teme ao Senhor, essa será louvada.  (Pv 31:30)
O Pecado/                          ”o proibido”
Morte As águas roubadas são doces, e o pão comido às ocultas é suave. Mas não sabem que ali estão os mortos, que os seus convidados estão nas profundezas do inferno. (Pv 9:17-18)


b)    Alegria segundo a Bíblia

·       Inicia-se em Deus

Deus é o autor e doador da alegria, pois é através do conhecimento D’Ele e de Jesus Cristo que recebemos toda a sorte de bênçãos espirituais, bem como de Suas maravilhosas promessas, para que por estas, nos tornemos participantes da natureza divina. (2 Pe 1:3).
Deus produziu em nossos corações a esperança de um dia estarmos com Ele em plena alegria (Jo 16:20;22).

Em verdade, em verdade eu vos digo que chorareis e vos lamentareis, e o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se converterá em alegria.

Assim também vós agora, na verdade, tendes tristeza; mas eu vos tornarei a ver, e alegrar-se-á o vosso coração, e a vossa alegria ninguém vo-la tirará.

·       É resultado da salvação

Dentro da história de nossas vidas iniciou-se na salvação, e é resultado da fé em Cristo como Salvador. Temos vários exemplos na Bíblia da alegria que enchia os corações dos santos.
Em tempos de paz: “E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam com alegria e singeleza de coração.” (Atos 2:46).

Ou quando rejeitados: “Os discípulos, porém, transbordavam de alegria e do Espírito Santo.” (Atos 13:52).

·       Volta-se para Deus

A alegria dos salvos é direcionada para Deus, de onde nos vem a confiança, o consolo, a esperança.

Tito 2.13 “... aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus...”

·       Não está baseado no circunstancial

A alegria não se baseia em elementos externos ao homem. O apóstolo Pedro nos diz que os crentes devem ser alegres apesar das provações no tempo presente pelo amor de Cristo e na medida que somos co-participantes dos sofrimentos de Cristo (1 Pe 1:6, 8; 4:13).

Hebreus 12:2 “... olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus”


CONTINUA... 




terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

O Fruto do Espírito - AMOR - Parte 2

0 comentários

Para baixar a Apresentação Clique AQUI

4.    O FRUTO DO ESPÍRITO É: ... AMOR ...

Conceito secular: 

O termo amor significa tanto uma forte afeição por outra pessoa, nascida de laços de consanguinidade ou de relações sociais, como também uma atração baseada no desejo sexual.
Na prática, o que se tem chamado de amor é um conjunto de situações e práticas tão bizarras quanto contrárias a  Deus.

Conceito Teológico: 

No idioma original é o amor Agape e identifica o amor de Deus 1 Jo 4:8-10. Um amor sacrificial, que enviou o Seu Filho para morrer por pecadores.
É o alicerce da vida cristã e excede todo o entendimento, pois o amor vem de Deus e é derramado no coração do crente pelo Espírito Santo (Ef 3:17;19).
Rm 5:5 porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado.
Mas tenhamos cuidado! Deus nos faz uma advertëncia! Quanto aos últimos tempo.
Mt 24:12 E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará.

Sabemos como e quem pode dar frutos. A próxima pergunta é: “Como” será esse fruto?

De uma forma mais prática, o amor foi descrito em 1 Co 13. Façamos, pois, um paralelo entre esse texto e as virtudes do Fruto do Espírito.

COMPARAÇÃO DO FRUTO DO ESPÍRITO COM O AMOR.

FRUTO DO ESPÍRITO
Gl 5:22-25
AMOR
1 Co 13
1 Co 13
versículos
Amor
·       Não procura s seus interesses (não é egoísta)
·       Jamais acaba (não vai falhar)
v. 5, 8
Alegria
·       Não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade
v. 6
Paz
·       Não se exaspera (não se irrita, fica nervoso ou promove a ira, não suspeita mal)
v. 5
Longanimidade
·       É paciente (mesmo sofrendo, segura seus sentimentos por muito tempo, até que passe a raiva)
·       Tudo espera (é paciente e aguarda com alegria e firmeza)
v. 4, 7
Benignidade
·       É benigno (agradável, gentil,presta serviço a outras pessoas de modo gracioso e bem disposto)
·       Não arde em ciúmes (não ferve com inveja)
v. 4
Bondade
·       Tudo sofre (aguenta com paciência as dificuldades ou provações)
·       Não se ressente do mal (não registra o mal, não estoca ressentimentos, não gera malicia)
v. 7, 5
Fidelidade
·       Tudo crê (é firme e constante sua fé)
v. 7
Mansidão
·       Não se ufana (alguém que fala ou age de forma presunçosa, orgulhosa, gabando-se)
·       Não se ensoberbece (inchar-se, sentir-se melhor e maior que os outros, com vaidade)
v. 4
Domínio próprio
·       Não se conduz inconvenientemente (comportar-se de maneira vergonhosa, indecente, grosseira. É respeitoso, não faz nada que possa envergonhar a pessoa amada)
·       Tudo suporta (cobre, como que protegido por um teto, com paciência)
v. 5, 7

4.1.    MARIA – Ela fez o que pôde

 

 (Mt 26:6-13; Mc 14: 3-9; Jo 12: 1-9)

Seis dias antes da Páscoa, foi Jesus para Betânia, (...) Deram-lhe, pois, ali, uma ceia; (...)

a)     Maria não pensou em si mesma - deu tudo o que tinha.

Então, Maria, tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, mui precioso, ... (preciosíssimo perfume) ... ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos (Jo 12:3).

O perfume era algo muito caro para Maria possuir e talvez ela o guardasse para as suas núpcias ou o seu próprio sepultamento. Mas, por amor, ela derramou o seu coração junto com o bálsamo aos pés de Jesus.

Isto me fez lembrar uma outra cena, onde Jesus mostra o contraste entre uma mulher pecadora salva e um religioso perdido: “a quem muito se perdoou muito amou...” (Lc 7:47).

E nós, o que estamos dando para O Senhor? O que temos de melhor, ou o que nos sobra? E quando fazemos algo para Deus, o fazemos conforme nossas forças? Fazemos sempre “o que podemos”?

b)    O exercício do amor gerará dificuldades

Mas Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, o que estava para traí-lo, disse: Por que não se vendeu este perfume por trezentos denários e não se deu aos pobres? (Jo 12:4)

Foi criticada – que desperdício... Muitas vezes somos criticadas ou até mesmo criticamos as atitudes de pessoas porque não concordamos ou não entendemos – fazemos isso com amor? Olhamos com amor? As nossas ações devem ser feitas todas olhando para Cristo, querendo agradá-lo.

Jesus mostra o contraste entre o que crê e o perdido. O que crê faz com a mão direita e a esquerda não vê - e Seu Pai do céu o recompensará. O perdido faz para ser visto dos homens - e esta é a sua recompensa.

Diariamente vidas são entregues à obra de Deus. Que... DESPERDÍCIO... ou... que AMOR?

c)     Deus é quem recompensa o amor

Mas Jesus disse: Deixai-a; por que a molestais? Ela praticou boa ação para comigo. Porque os pobres, sempre os tendes convosco e, quando quiserdes, podeis fazer-lhes bem, mas a mim nem sempre me tendes. (Mc 14:6-7)

Jesus entendeu e a recompensou.

As obras de caridade devem fazer parte da vida do salvo, mas não devem fazê-las esperando glória dos homens ou mérito perante “um ser superior” – como fazem os incrédulos. Nós temos uma obra de caridade a fazer deixada pelo Senhor:  “E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (Mc 16:15).

d)    Você cumprirá a vontade de Deus, praticando o amor

Ela fez o que pôde. Antecipou-se a ungir-me para a sepultura (Mc 14:8).

Os motivos de Maria eram puros.  Faltavam seis dias para Jesus ser morto e sepultado e Deus tocou o coração daquela mulher simples... Antecipou-se a ungi-Lo para a sepultura. 

Se você está na vontade de Deus, mesmo que aos olhos humanos não seja reconhecida, Ele lhe dará a paz e a alegria de O estar servindo.

e)     O amor não se acaba

Em verdade vos digo: onde for pregado em todo o mundo o evangelho, será também contado o que ela fez, para memória sua (Mc 14:9).

Em memória de Maria. Muitos homens e mulheres viveram antes de nós e o que Jesus disse sobre Maria é como se tivesse dito ao mesmo acerca deles: Os heróis da fé de Hb 11 (esposa e noras de Noé, Sara, Joquebede, mãe de Moisés, Ana, mãe de Samuel. E muitas outras mulheres notáveis, que veremos neste estudo.

Será que nós seremos lembradas por alguém como uma crente sincera?

f)      Os resultados do amor não se consegue esconder

E encheu-se toda a casa com o perfume do bálsamo. Podemos sentir a fragrância daquele perfume, ainda hoje.

Como é bom sentir aquele aroma... quase o posso sentir agora... Nas vidas de Amy Carmaical, das esposas de grandes missionários como David Linvigstone, Adoniram Judson e tantos outros incontáveis.

Nos missionários que estão nas tribos, nos europeus que deram suas vidas na África, na selva amazônica, nos caboclos que estão indo pregar o evangelho na Europa, na Índia, no Oriente.

Há uma forma de podermos exalar este perfume: estando com Jesus e Sua palavra: “Somos para com Deus o bom perfume de Cristo” (2 Co 2:14).

Maria tinha estado aos pés de Jesus enquanto Marta se preocupava com tantos afazeres... ela escolheu a melhor parte e isto não lhe foi tirado.

 Amém.

O Fruto do Espírito - Introdução

0 comentários


Para baixar a
Apresentação
Clique AQUI









Estudo para a Classe Senhoras e Moças

Programa de Incentivo
No início do semestre cada irmã deve receber uma figura de uma cesta vazia. Ao longo das semanas será desenvolvido um Programa de Incentivo (presença e pontualidade, versículos memorizados, tarefas realizadas, convidadas,  etc) sendo entregues frutos recortados como bonificação, que serão colados à cesta.
Ao final do período, as ofertas arrecadadas poderão ser convertidas em brindes que deverão ter o valor fixado em "x" frutos.  Estes poderão ser adquiridos pelas irmãs conforme a quantidade de mercadoria (frutos) que tiverem para trocar - como em uma feira de "escambo".
Assunto: Doutrina do Espírito Santo
Tema: O Fruto do Espírito
Texto base: Gálatas 5:16-25

INTRODUÇÃO

Nosso estudo começa no capítulo cinco de Gálatas, com um grande e maravilhoso assunto que é a liberdade que usufruímos em Cristo: liberdade para não sermos escravos de homens, liberdade para não pecarmos, liberdade para andarmos no Espírito e darmos fruto.

Porém, quais as condições para dar fruto? Quem pode dá-lo?


1.     QUEM PODE DAR FRUTOS

O Senhor nos diz quem pode dar frutos no texto de João 15:1-15.
Verso 1. Àquele unido a Cristo.
Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor.
Jesus nos diz que Ele é a Videira Verdadeira, os crentes são os Ramos e Deus o Agricultor que dela cuida.
Verso 2. Todos os que são limpos.
Todo ramo que, estando em mim, não der fruto, ele o corta; e todo o que dá fruto limpa, para que produza mais fruto ainda.
Sem querer estabelecer uma “tese doutrinária”, mas tentando entender o porquê de Cristo ter usado a ilustração da videira, façamos um paralelo do cultivo[1] da videira com a vida cristã:

Estágios
Processo
Analogia
Condução
Por ser Trepadeira
·       Precisa de suporte para a sustentação dos ramos.
·       1° Crescem vertical, (+ -) 2 metros.
·       Depois, na horizontal, para desenvolver e dar frutos.
Novo nascimento:
·       Olhar para o alto – Cristo.
·       1° As coisas celestes.
Depois os frutos.
Crescimento



Antes 3 anos – Fortalecimento.
·       Ela desenvolve raízes para absorção de nutrientes
·       E ramos vegetativos que irão sustentar os cachos produzidos.
·       Mudança de visão
·       Leite espiritual

Com 3 anos – Está pronta
·       Por esse tempo, ela têm condições nutricionais para iniciar a sua produção.
Primeiros passos na fé
·       Curiosidade
·       Conhecimento da Palavra
·       E da nova vida cristã


A partir de   3 anos – Produz Frutos
·       Poucos cachos.
·       Testemunhar
·       Envolvimento na obra

Com o passar dos anos – Produz muitos Frutos
·       A produção aumenta até estabilizar na fase adulta da planta.
·       Crente forte e ativo
·       Conhece o seu Salvador
Poda


Condução

·       Quebra dos galhos que estão fora do caminho.
·       Eles "roubam" a energia que o ramo principal utilizaria para o seu crescimento e a produção dos cachos.
·       Desistir de tudo o que desvia do caminho cristão
Folhas
Tirar aquelas que estão empatando o sol.
·       Desistir do que ofusca a Luz de Cristo
Gema
Geralmente, possui 2 galhos e 1 folha.
·       Arrancar o “neto” o galho mais fraco.

·       Perder os “privilégios” antigos
·       Até perder amizades (jugo desigual)
Gavinhas
Seguram o novo galho no antigo.
·       Devem ser cortados.

·       Soltar as amarras do velho homem.
Adubação de Produção
É preciso dar nutrientes
·       Alimentar para que a videira produza mais cachos.
Continuar se alimentando da Palavra e frutificando.

Alguns crentes, nos remetem à Parábola do Semeador, pois dão frutos. Estes, o Agricultor limpa, produzem mais fruto, como em bom solo – e frutificam a 30, 60 e 100 por 1.

Outros, porém... Quem não conheceu freqüentadores de igreja que só tinham aparência de crentes, como a figueira estéril (Mc 11: 12-14 e 20)? Ou que produziam frutos maus (Mt 7:19-20) e cujo destino era serem lançados ao fogo?

Verso 3. E purificados pela Palavra.
Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado.

O que seria limpar?  O verso dois diz que Deus limpa e o verso três diz que “vós já estais limpos”. Qual a diferença?

Tomemos outro trecho das Escrituras para compararmos coisas espirituais com coisas espirituais. Em Jo 13:2-10, Jesus lava os pés aos discípulos. No verso 8, Jesus diz a Pedro: “se eu não te lavar, não tens parte comigo”. E no verso 10 Jesus diz: “Aquele que está lavado não necessita de lavar senão os pés, pois no mais todo está limpo...”.

Ilustração Bíblia Dr Scofield – “A imagem é de alguém, no oriente, retornando dos banhos públicos para sua casa. Seus pés estariam sujos e precisariam ser lavados, mas não o seu corpo, que já tinha sido banhado”.

Assim o crente é purificado:
a. De todos os pecados “uma vez por todas”
Hebreus 10:14 Pois com uma só oferta tem aperfeiçoado para sempre os que estão sendo santificados.
b. Mas precisa durante sua a vida terrena apresentar os seus pecados diariamente em confissão ao Pai, para permanecer em comunhão.  
1 Jo 1:9  Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.

Verso 4. Os que permanecem.
Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não      permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim.
Permanecer em Cristo é ter as Palavras da Bíblia no coração, memorizar e trazer à lembrança quando estamos no meio de uma provação. É guardar os mandamentos e saber quais as ordens de Cristo para o nosso dia a dia. É fazer o que Cristo manda.
   Tiago 1:2  Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações,
   
    Filipenses 4:6  Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas
                               petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças.
    Tiago 4:17   Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz nisso está pecando.

Verso 8.  Os que são reconhecidos como discípulos.
Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornareis meus discípulos.

Para quê e por que dar fruto? Para glorificar a Deus e ser reconhecido como sendo discípulo de Cristo.
  
Efésios 2:10  Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou  
                          para que andássemos nelas.

Verso 11.  Os que têm prazer em Deus.
Tenho-vos dito estas coisas para que o meu gozo esteja em vós, e o vosso gozo seja completo.

Conhecer as Escrituras é ter o gozo (alegria) de Cristo em si mesmo. Em meio a provações mostrar a felicidade de conhecer o Deus Eterno e saber que foi escolhido por Ele, vivendo uma vida digna e frutífera.

João 15:16  Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda.

Como será manifestado esse fruto?


2.    COMO MANIFESTAR O FRUTO DO ESPÍRITO.

Manifestar o Fruto do Espírito não é obter mais do Espírito, pelo contrário, é permitir que o Espírito consiga mais de nós. Permitir que Deus cumpra em nós todo o Seu propósito, manifestar ao mundo as virtudes de Cristo através de um caráter cristão virtuoso.
É ter uma vida vitoriosa, que glorifique a Cristo. O crente espiritual é constante, não sazonal - não se produz o Fruto uma semana e outra não. Independe das condições as quais o crente esteja passando, ou das pessoas com as quais ele convive.
Não depende das qualidades naturais que cada pessoa possui ou do seu temperamento. Não pode ser fingido ou fantasiado: uma pessoa, por interesse, pode tentar agir calma, alegre, graciosamente por determinado período de tempo, mas sempre acabará por mostrar sua verdadeira face.
O homem natural, não regenerado, por mais que se esforce, somente poderá reproduzir essas virtudes de forma imperfeita, posto que não são naturais e sim sobrenaturais, produzidas por Deus. O Fruto do Espírito é produzido “no” crente “pelo” Espírito, através de uma vida de submissão e obediência à Palavra de Deus.

3.    O FRUTO DO ESPÍRITO ATRAVÉS DE PERSONAGENS BÍBLICOS FEMININOS

Vamos realizar o estudo buscando em personagens bíblicos femininos exemplos de vida que possam nos ajudar nesta caminhada à Santificação e ao crescimento na graça de Jesus Cristo.
Muito já foi escrito sobre o assunto, mas eu creio ser de grande valor o exercício de meditarmos sempre nos mesmos versículos, posto que as misericórdias do Senhor se renovam a cada manhã (Lm 3:22-23).
Várias são as personagens que poderiam ser utilizados como exemplos, todavia, optamos por essas mulheres. As irmãs poderão pensar em outros nomes.